17.6.17

"Pelos caminhos da leitura e da comunicação"

Perante uma sociedade em constante transformação, nomeadamente na área tecnológica e digital, e dada a omnipresença das novas tecnologias, acreditamos que desenvolvendo atividades de promoção da leitura em diferentes suportes e no âmbito da utilização das tecnologias de informação e comunicação, contribuiremos para uma aprendizagem mais significativa e cativante, sendo um passo para o seu sucesso educativo e, consequentemente, um contributo para a sua integração na sociedade.
Foi neste contexto que a biblioteca escolar construiu o projeto "Pelos caminhos da leitura e da comunicação" que está ser desenvolvido em articulação com os docentes do 2º ciclo e o Instituto Politécnico de Santarém (FabLab e CCTIC).
A professora Teresa Pacheco, docente da equipa da biblioteca escolar, criou o site
para a divulgação dos desafios “Ler com amigos ainda é melhor” e “Uma história em BD”. Criou, também, uma disciplina no Moodle (DM) partilhada no blogue da biblioteca, onde alojou informações e desafios sobre vários autores e respetivas obras http://nonio.ese.ipsantarem.pt/aeah/.
Depois de lerem as obras, os alunos acediam à DM, exploraram a informação, realizaram os jogos e atividades e participaram nos concursos sobre cada obra disponibilizada.
Em Educação Visual, os alunos escolheram uma personagem ou cena das obras lidas e desenharam-na. Entre os trabalhos realizados foram selecionados os melhores.
Foi, então, que no dia 31 de maio, um grupo de alunos do 5º e 6º ano de escolaridade, acompanhados pela professora Teresa Pacheco, passaram a tarde na Escola Superior de Educação de Santarém.
No FabLab da ESE-IP Santarém, participaram no processo de impressão dos seus desenhos em materiais diversos e fotografaram. No CCTIC da ESE editaram e montaram o filme sobre a sua experiência na ESE.



Eis os seus desenhos impressos em diferentes materiais.








Parabéns pelo trabalho realizado! 

Os nossos agradecimentos ao Dr. José Maurício Dias e ao Professor João Galego pela tarde rica em aprendizagens significativas.

À professora Teresa Pacheco um obrigada muito especial pelo seu trabalho que em muito contribuiu para que a biblioteca escolar desenvolvesse uma cultura da leitura impressa e digital, através da exploração de recursos digitais.

"Ler para crescer e aprender a ser": participação do 6ºB e 6ºC

O livro Missão Impossível, da autoria de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, foi a obra lida pelos alunos do 6º ano B e C, orientados pela docente Graça Gonçalves, nas aulas de Português. Após leitura, os alunos do 6ºB imaginaram algumas personagens que retrataram física e psicologicamente, por escrito.
Posteriormente, na disciplina de Educação Visual, orientados pela docente Josefina Ferreira, ilustraram as personagens, seguindo a descrição escrita.




 Os retratos foram depois entregues aos colegas do 6ºC que construíram um texto dramático.


Esta foi a última atividade do projeto a ser divulgada, pois é uma ponte para a continuidade do mesmo. De facto, fica o desejo do Clube do Teatro de encenar este texto no próximo ano letivo.
Assim sendo, não estarão sozinhos...outras turma darão continuidade ao projeto...outras ideias surgirão...por outras marés navegaremos...


Com a divulgação de mais esta participação chega ao final a apresentação dos trabalhos finais construídos no âmbito do desenvolvimento do projeto "Ler para crescer e aprender a ser", construído para a candidatura "Leituras que Unem". Apesar de não ter sido financiado, ninguém virou costas ao seu desenvolvimento.
Com este projeto, a biblioteca escolar promoveu a descoberta do hábito de ler como fonte de conhecimento pessoal e coletivo e proporcionou uma cultura de escola baseada no diálogo, na partilha, na cooperação e na entreajuda.
Muitos, muitos parabéns aos alunos, docentes e familiares envolvidos.

"Ler para crescer e aprender a ser": participação da T.3 e T.4 de São Domingos

Os alunos das turmas 3 e 4, das docentes Manuela Pinto e Conceição Rosa, trabalharam o livro A cerejeira da Lua, da autoria de António Torrado. Em conjunto com a professora bibliotecária Elsa Carvalho, pesquisaram sobre o autor, trabalharam o vocabulário e construíram em 3D alguns dos elementos do conto.



Muitos parabéns!

"Ler para crescer e aprender a ser": participação do pré-escolar

O projeto "Ler para crescer e aprender a ser" também se desenvolveu no pré-escolar a partir do livro Momoko. A obra da autoria de Coby Hol é recomendada pela Casa da Leitura: "Este álbum narrativo recria a história de uma avó e uma neta japonesas, dando conta dos afetos que as unem e da forma como partilham a felicidade. Momoko é o nome da neta que colabora com a avó em todas as atividades que ela executa, exprimindo a sua profunda admiração por ela e pelas suas extraordinárias habilidades culinárias. Serão estas que farão da avó de Momoko uma pessoa muito especial e reconhecida junto dos outros. Com ilustrações feitas a aprtir de recortes, o álbum revisita o universo oriental, recriando, com expressividade e afetividade a cor local japonesa e uma relação intemporal entre avós e netos", Ana Margarida Ramos.

No JI Fontainhas, a docente Madalena Vassalo após exploração da história construiu figuras  representativas dos vários elementos da  história em cartolina preta com as quais as crianças dramatizaram a história. Esta técnica denominada "Sombras chinesas" é uma forma tradicional de teatro de bonecos praticada no Oriente que consiste na manipulação de bonecos presos em varas, entre uma luz e uma tela.





A dramatização foi apresentada para os colegas do 1º ciclo

A mesma obra foi trabalhada no JI de São Domingos pelos Grupos 1 e 2, pelas docentes Cristina Galante e Cristina Rosa. Depois, com a colaboração da professora bibliotecária Elsa Carvalho, identificarem algumas características culturais orientais e participaram na construção das personagens que foram colocadas num biombo, o qual serviu para o reconto da história.




Parabéns a todos os participantes!

14.6.17

"Ler para crescer e aprender a ser": participação da T4 da EB Mergulhão

Quanto à T4 da EB Mergulhão, pesquisaram sobre as tradições japonesas. Entre as tradições milenares, está o Taikô que continua a atrair os jovens. De facto, o Taikô está presente na cultura japonesa há mais de 1500 anos e continua a ser imprescindível nas festas do país.
Foi esta tradição que cativou o professor Montez e os seus alunos. Assim, com baldes de plástico de tinta foram construídos os tambores e decorados com papel autocolante colorido.
Os ensaios foram feitos pelo professor Joaquim Montez e pela professora Maria do Céu Ferro.






Muitos parabéns, aos alunos e professores! Foram fantásticos!

"Ler para crescer e aprender a ser": participação do 5ºF

Após leitura da obra Missão Impossível, da autoria de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, a professora Mafalda Grego levou os seus alunos a pesquisarem sobre a mitologia grega. Posteriormente, construíram um pequeno apontamento em luz negra. Assim, foi dada centralidade à leitura, propiciando aprendizagens e vivências significativas.



 



 
 






Parabéns! Estiveram excelentes!

11.6.17

Alunos da T5 do Mergulhão visitam exposição na EB Alexandre Herculano

No passado dia 6 de junho, os alunos da T5 da EB Alexandre Herculano visitaram as exposições que estão patentes no átrio e no interior da biblioteca da EB Alexandre Herculano.

















Arquitetura e arte na época medieval pelos alunos do 7ºano

A professora Célia Nascimento desafiou os alunos das turmas B, C e F do 7º ano a construírem maquetes, representando o contexto medieval que tinha sido estudado na disciplina de História.
Para a construção das maquetes, os alunos revelaram muita criatividade e consciência ecológica, pois utilizaram materiais recicláveis e reutilizáveis.
De facto, os trabalhos apresentados estão fantásticos e resultaram numa exposição que a todos cativa.

















Muitos parabéns à professora Célia Nascimento e aos alunos pelos excelentes trabalhos apresentados!
Também merece um elogio, o Alexandre, da turma CEF, pelo seu trabalho de colaboração na acomodação da exposição, pois não se poupou a esforços para transportar as mesas necessárias.